Linkultura

por Nereide Michel em 07/06/2016

Museus e galerias de Curitiba são roteiro imperdível para quem quer conhecer a obra de artistas contemporâneos dos pincéis e das lentes fotográficas. Memorial de Curitiba e a Galeria Diretriz, que está no Pátio Batel, abriram recentemente exposições com o trabalho de quem se deixa guiar pela inspiração, criatividade e emoção.

EMOÇÃO

Alexandre Mazzo é editor de fotografia da Gazeta do Povo. As imagens clicadas ocupam, portanto, a maior parte do seu dia. São o seu trabalho, mas, sem pressão. Mesmo com a responsabilidade onipresente de horários a serem cumpridos, e estes são mais prementes em uma empresa jornalística, é a emoção que guia todas as suas atividades relacionadas ao universo das imagens clicadas. Tanto é assim que Alexandre Mazzo está  no Memorial de Curitiba com a exposição  “Ressignificar”, que ele considera ser um “novo olhar em relação à sua fotografia”. Emoção excerbada quando se percebe que a  motivação que o levou a produzir os trabalhos foi uma experiência pessoal: o pânico e como usou o recurso para lidar com o problema.

ONDE ESTÁ

 “Ressignificar”

Memorial de Curitiba, Salão Paranaguá (1º andar). Até 31 de junho.

REENCONTRO

Com a curadoria de Edilson Viriato, as artistas plásticas Ana Serafin, Denise Abujamra, Elisiane Corrêa, Jayabujamra, Marinice Costa e Soraya Milani participam da exposição “Re-Encontro.” O coletivo é uma homenagem à Jayabujamra, artista plástica de 88 anos, que possui 27 obras expostas em acrílico sobre tela, nas quais faz uso do desenho e da pintura realista em contraste com cores vibrantes, stencil e elementos repetidos; trazendo para uma linguagem atual, temas do universo humano. Caminhando pelo seu significado, “Re-Encontro” privilegia as divergências, o posicionamento de ideias e o aprendizado baseado nas diferenças. Não há um tema em comum. Em comum a sensibilidade, as percepções, o respeito e a amizade compartilhados numa convivência de mais de uma década. Juntas, as seis artistas mostram suas produções mais recentes e acreditam que “dividir um mesmo espaço é sempre somar”.

ONDE ESTÁ

Exposição “Re-Encontro”

Memorial de Curitiba, Setor Histórico, Sala Brasil, 3º Andar. Até 3 de julho.

SENSIBILIDADE

A exposição Intensidades Sensíveis, em cartaz na Galeria Diretriz, no Pátio Batel, reúne obras de Daniel Duda, Juliana Gisi, Lailana Krinski e Samuel Dickow, sob curadoria de Ana Rocha. A inspiração para a mostra reside nas obras homônimas de Marcel Duchamp e Lygia Pape, chamadas Étant Donné, que servem como referência para um diálogo sobre imagem e linguagem. Daniel Duda atua principalmente com imagens em movimento. O trabalho apresentado na mostra é parte da série Ecos, de 2015, na qual o artista registra água corrente como fluxos de movimento. De Juliana Gisi, a exposição mostra “Incidente Luminoso”, uma série de fotografias que trata de um tema que é, na verdade, a própria fotografia: o registro da luz ou a capacidade de captá-la. As imagens são feitas em longa exposição durante o entardecer, no lusco-fusco. Já nos trabalhos de Samuel Dickow, a pintura constrói uma equação em que se soma e se multiplica procedimentos. Em seu trabalho “Game Over”, essas relações entre os diferentes procedimentos de construção da imagem se tornam mais evidentes. O trabalho de Lailana Krinski também se constrói em camadas. De acordo com a curadora da mostra, sua pesquisa, apoiada no desenho, não pode ser definida como uma pesquisa específica de linguagem, mas como uma busca de salientar suas relações mais intrínsecas. Para essa exposição, ela traz um desenho de projeto de escultura e instalação feita com pasta de modelar.

ONDE ESTÁ

Exposição Intensidades Sensíveis

Diretriz Arte Contemporânea, Avenida do Batel, 1868, Shopping Pátio Batel, Piso L3, Loja 329. Até 14 de julho. 

 

 

404 Not Found

Not Found

The requested document was not found on this server.


Web Server at vps456091.ovh.net