Coisa Nova Cardápio

por Nereide Michel em 16/09/2019

Curitiba entrou na rota de uma das mais irresistíveis fontes energéticas – o chocolate. Ao lado de São Paulo e Belo Horizonte, a cidade recebe até o dia 22 de setembro a 2ª Chocolate Week, da qual participam 10 estabelecimentos e 16 endereços especializados nesta delícia na capital paranaense.

Chocolate Ruby inspira as aulas dos chefs.

 A Chocolate Week Curitiba também oferece uma grade de aulas-show abertas ao público, ministradas por chefs de renomados empreendimentos gastronômicos e instituições de ensino.

No dia 17 de setembro, acontece a aula “Aplicações do chocolate Ruby na cozinha americana”, comandada pelo chef Luiz Santo, responsável pela cozinha do New York Café. A atividade vai ensinar jeitos inusitados de utilizar o Ruby em receitas bem diferentes, como no barbecue, elemento indispensável do churrasco americano, e no NY Bourbon, um drinque quente composto de café e whisky, além de mostrar o passo a passo para preparar um brownie de chocolate meio amargo combinado ao Ruby.

 No dia 18, o chef Cássio Cevallos, Chocolatier formado pela Barry-Callebaut, vai mostrar como explorar as harmonizações do chocolate Ruby com as frutas, além de ensinar o preparo de uma delicada madeleine com goiaba e coco.  

No dia 19 de setembro, a chef Carolina Garofani, especialista em confeitaria europeia, apresenta aos alunos a Ruby Lemonade, uma sobremesa que explora os diversos usos do chocolate Ruby em uma ganache naturalmente rosada e um crocante de Ruby com gergelim. Também no dia 19, acontece a aula “Do clássico ao molecular – A versatilidade do chocolate Ruby”, ministrada pelo chef pâtisserie Diego Prado.

As aulas acontecem na sede Gourmet do Centro Europeu, na Alameda Princesa Isabel,1300.

As inscrições podem ser feitas pelo site www.chocolate-academy.com e custam R$ 50. Todo valor será revertido para a ONG Gastromotiva, uma iniciativa global que articula as melhores práticas a integrantes da sociedade, empresas, governos e agências internacionais, em torno do potencial transformador da comida. A organização realiza há mais de uma década um trabalho de impacto social no Brasil, México, África do Sul e El Salvador.